sábado, 21 de junho de 2008

Pequena crônica de uma partida de futebol

O campo era a cozinha da avó da Rafa. Os times, embora recentemente definidos, já tinham muita personalidade. De um lado, o santista Gustavo, 7 anos, o jogador profissional, entende tudo de bola e sabe tudo de futebol. Tem aquele tipo de risada que faz a gente querer rir só de ouvir. Do outro, Lucas, 6 anos, o futuro já responsável tio. Amante das artes marciais e lutas em geral, quer ser lutador de boxe. Ou pedreiro, quem sabe. Jogador de futebol? Não, ele joga capoeira. Não sabe pedalar, mas ginga como ninguém.
Primeira rodada, o jogo estava equilibrado. O Gustavo cismava em torcer para o Lucas... "Não, foi gol, eu não defendi". O Lucas parecia começar a gostar desse negócio de chutar bola...
O jogo foi ficando interessante, e a criança beirando a casa dos 30 resolveu participar. Por motivos geográficos, entrou no time do Gustavo que acabou ganhando. Como todo herói uma hora também chora, a derrota levou o Lucas às lágrimas. "Mas você tá no time dele". "Pois agora eu tô no seu. Vamos lá que a gente vai ganhar!"
O jogo esquentou. As gargalhadas e os gritos de gol eram incontroláveis. E o time de amadores vencia o profissional. 10 x 8... 12 x 10... 14 x 12... 14 x 13... 14 x 14. Ops! A vitória estava por um fio. Ganhava quem alcançasse o 15º gol primeiro. "Lucas, vamos combinar uma coisa? Mesmo se a gente perder, a gente comemora. Combinado?", "Combinado!". E eis que o provável, possível, e até certo ponto esperado, aconteceu: o Gustavo marcou, ganhou e encerrou a partida. Muita comemoração do outro lado. "Não vale! Quem ganhou fui eu!"
Na verdade, quem ganhou foi a criança beirando os 30. Dois garotos, uma cozinha e uma bola de futebol podem fazer a gente ganhar o dia e lembrar o que realmente é importante na vida.
A partida durou pouco tempo, mas foi o suficiente para durar para sempre...

p.s.: a avó da Rafa, o Henrique, o café do pai da Rafa, o bolo de chocolate da Rafa e a Rafa também fizeram minha alegria, mas são assunto pra outra crônica.

Um comentário:

Rafaelle Donzalisky disse...

obaaa! vejo que esta visita nos fez muito bem! e o lucas começou mesmo a gostar de futebol ehehehe
vou mostrar pra eles esta crônica,eles vão adorar lembrar da partida :))

:***